Sobre Minimalismo Financeiro

O que é minimalismo financeiro?

Minimalismo financeiro é a aplicação da proposta minimalista às finanças pessoais. Seu objetivo é simplificar a vida financeira ao máximo e gastar o mínimo possível para investir no que realmente importa. Basicamente é garantir uma vida de gastos fixos e essenciais no mínimo necessário, para que um bom percentual de nossas receitas sobre para experiências de vida e para o acúmulo para a Renda Passiva no futuro. E como isso é possível? A ideia é eleger tudo que nos é essencial da melhor forma, sempre avaliando o melhor custo benefício, utilizando como parâmetro sempre as nossas necessidades reais, para que não haja desperdícios com relação à recursos financeiros.

Quais os benefícios do minimalismo nas finanças pessoais?

Ao aderir ao minimalismo financeiro, você irá poupar mais dinheiro e gastar muito melhor. Isso porque você irá viver apenas com o que pode pagar, mas com todas as suas necessidades e prioridades supridas. Temos que pensar que quando somos minimalistas priorizamos o suprimento das coisas realmente necessárias à nossa sobrevivência. Priorizamos o ser e não o ter. Priorizamos as experiências e não as coisas que podemos ter. Chamo todos a uma reflexão nesse momento: é mais importante na vida de qualquer um a experiência de conhecer lugares e pessoas, ou a experiência de uma casa maior do que precisamos para descansar e cheia de bugigangas que só dão trabalho para limpar em dia de faxina? É mais fácil limpar a poeira de um chão, do que ela em cima de uma queira de móveis que temos simplesmente porque vimos na novela uma sala de alguém “rico” lotada de móveis e quinquilharias.

Quais motivos para aderir a essa prática?

Eu enumero 4 motivos para adotar o minimalismo financeiro

Domínio sobre o orçamento. Na prática da Educação Financeira, pura e simplesmente, nós já alcançamos esse domínio, quando praticamos o Minimalismo Financeiro, nós terminamos por reduzir a pressão sobre as receitas recebidas, o que aumenta exponencialmente esse domínio. E como mais sempre será melhor do que o normal. Isso é bastante positivo.

Redução do estresse financeiro. Se termos domínio sobre o nosso orçamento, se nosso orçamento é reduzido no máximo ao necessário à nossa sobrevivência, sem esquecer da necessidade de existência de uma Reserva de Emergência, não há como nos estressar com nada que possa acontecer em nosso cotidiano. Se temos um percentual bem reduzido de usos de nossas receitas em relação aos gastos fixos e essenciais a nossa sobrevivência, não há porque se estressar com relação ao dinheiro. E como o dinheiro, na verdade a falta dele é motivo de grande estresse e ansiedade em nossa sociedade. Ter domínio sobre ele e uma grande folga sobre os recursos que temos disponíveis é poder se livrar desse grande mal que assola nossa sociedade.

Controle dos impulsos consumistas. Quando nos organizamos financeiramente, através dos ensinamentos trazidos pela Educação Financeira, começamos a nos planejar para todas as coisas que queremos realizar, começamos a não nos antecipar ao consumo. Naturalmente, aquele hábito de consumir de forma desenfreada desaparece, pois passamos a perceber o que nos é verdadeiramente necessário e percebemos que todo resto, que muitas vezes vem com o incentivo de propagandas e mídia, não mexe mais com o nosso subconsciente e o impulso consumista já não tem efeito sobre nós.

Motivação para investir. Se o nosso orçamento está sobre controle e assume características minimalista, já fica subentendido que não temos restrição a utilizar o dinheiro reservado para os investimentos para o nosso plano de Renda Passiva, se não será necessário utilizar aquele dinheiro para outra coisa, não existe impedimento, somente motivação para o investir.

Qual impacto do minimalismo no longo prazo?

Com o Minimalismo existe uma tendência do menor consumo, consequentemente sobra dinheiro para investimentos, o que a longo prazo é muito bom para economia do país onde vivemos. Tem uma coisa que muitos não sabem, mas o dinheiro acumulado nas instituições financeiras, no Tesouro Nacional e na Bolsa de Valores, fomenta o crescimento do país. Na Bolsa de Valores fomenta o crescimento das empresas, Na Instituições Financeiras garante crescimento através de linhas de crédito liberadas para empresas e no Tesouro Nacional auxilia na execução de projetos de infraestrutura que promovem a crescimento do país. Ganha o país e ganhamos nós, ajudamos no desenvolvimento da nação e de quebra, garantimos o acúmulo pessoal que terminará, num futuro definido, na nossa tão sonhada Renda Passiva.

Além disso, esse dinheiro pode ser usado para apoiar projetos e causas sociais, o que impactaria positivamente a vida de várias pessoas necessitadas. Se conseguimos fazer sobrar recursos, além dos investimentos, podemos também ajudar instituições que trabalham em prol de pessoas e de problemas de saúdes graves. Apoiar asilos e orfanatos, bem como instituições de combate ao câncer e outras tantas é algo poderoso, e que facilmente podemos implementar em nosso cotidiano, através do minimalismo em nossas finanças. Poder ajudar o próximo é algo que não precisa ser mostrado, mas que enquanto seres humanos devemos promover. Tudo que fazemos de bom pelo nosso próximo, com certeza retornará de volta para nós de maneira positiva. Eu acredito nisso.

Quais dicas para dar início a um orçamento minimalista?

Dicas relacionadas com mudança de mentalidade e por consequência mudança de hábitos diante da sua realidade cotidiana:

Eu enumero 7 dicas para iniciar um orçamento minimalista:

Acabe com compras parceladas. Compras parceladas dizem respeito a antecipação de consumo, o melhor sempre será ter o dinheiro disponível antes de realizar a compra de coisas desejadas. Dica importante, não use a compra parcelada de forma alguma para despesas essenciais, apenas para compras em produtos e serviços para as despesas relacionadas com a qualidade de vida. Lembrando que usar o parcelado nesse caso é para aproveitar sistema de pontos do cartão de crédito e a rentabilidade dos investimentos onde estará aportado o dinheiro para o pagamento daquela despesa, já que enquanto estiver pagando as parcelas o dinheiro já reservado para quitá-las estará rendendo no investimento onde estiver aportado. Sendo importantíssimo frisar que se o consumo está baseado no “eu já tenho o dinheiro para pagar aquela despesa”, o melhor sempre será negociar um desconto para o pagamento à vista, em certas ocasiões o desconto conseguido pode superar a rentabilidade do investimento onde você tem o dinheiro guardado. A depender do tipo de consumo que esteja fazendo, no caso de viagens pagas com antecedência, por exemplo, a depender da confiabilidade da agência contratada, pode ser prudente abrir mão do desconto e ir pagando parcelada a despesa feita, tudo para proteger o patrimônio que será empregado ou pelo menos parte dele.

Defina seu plano de acúmulo para a sua Independência Financeira. O principal objetivo de assumir uma vida minimalista é aproveitar a vida com experiências e não com coisas adquiridas e a única forma de se obter tempo para aproveitar as experiências é garantindo o nosso planejamento de acúmulo para Renda Passiva, isso é algo que não pode ser negligenciado, daqui a pouco falo mais sobre como tentar organizar o orçamento em termos de números para garantia de definição efetiva desse plano.

Crie uma lista de seus hábitos de consumo e mude-os de acordo com a disponibilidade de recursos. Tanto para os gastos essenciais, quanto para aqueles relacionados com a sua qualidade de vida, a dica é sempre priorizar o que te possa trazer a melhoria de qualidade de vida, diminuindo as despesas fixas, referentes aos seus gastos essenciais. De novo, uma vida com menos coisas, nos proporciona uma vida com mais experiências vividas.

Tenha pouca conta corrente e pouco cartão de crédito. Quem tem um orçamento minimalista, não precisa de uma série de contas correntes e cartões de crédito, basta ter um cartão e uma conta corrente, e organizar cada um deles para as suas necessidades de consumo, principalmente o cartão, garantindo um limite que permita a organização de certos momentos de satisfação pessoal, que é o caso do exemplo que já citei sobre a viagem em um dos pontos atrás.

Crie um plano de gastos com suas receitas e despesas. Criar um plano de gastos está relacionado com os percentuais que irá destinar para cada componente de seu Orçamento Minimalista. Normalmente esse orçamento é composto basicamente de receitas e despesas, as despesas divididas em fixas e essenciais, variáveis de qualidade de vida e de prioridades financeiras ou investimentos. Como já disse anteriormente, mais na frente irei tratar mais especificamente sobre essa divisão.

Questione todas as compras futuras. Se planeje para compras futuras sempre, principalmente quando se tratar de compras que estejam relacionadas com o essencial para sua vida. Na compra de um eletrodoméstico novo, por exemplo, é importante saber avaliar de forma consciente a capacidade de funcionamento de seus eletrodomésticos e começar a acumular valores direcionados aos gastos essenciais, valores que lhe garantirão a compra, na hora certa, de utensílio ou eletrodoméstico. Lembre-se, nunca se antecipe ao consumo. Lembrando que emergências acontecem e para elas deve existir algo que chamamos de Reserva de Emergência.

Automatize os seus pagamentos. Depois de ter o seu orçamento todo organizado, o melhor é fazer a automatização de suas contas de consumo e cartões de crédito, para não perder tempo com essa preocupação e não atrasar essas despesas. Um orçamento minimalista deve lhe dar liberdade de coisas que precisam ser feitas todos os meses. Melhor deixar a cargo do banco tais pagamentos através de débito automático.

Dica relacionada com a atitude diante dos números de seu orçamento:

Vamos falar sobre a regra para um orçamento minimalista. Para que as pessoas possam entender, vamos lembrar de uma regra de orçamento difundida em publicações em redes sociais, que é aquela regra 50/20/30, que diz respeito a 50% para gastos essenciais, 20% para aqueles gastos variáveis, que tem relação com a qualidade de vida, e 30% para as prioridades financeiras, no nosso caso a construção de Renda Passiva, em um prazo pré-determinado.

O simples atendimento aos percentuais já pode garantir o atendimento ao que eu já considero um Orçamento Minimalista, pois ele garante uma efetividade de garantia de Renda Passiva depois de 45 anos de acúmulo, começando aos 20 anos terminando aos 65 anos.

Existem outras regras que garantem a aceleração desse tempo e elas são determinadas através de cálculos matemáticos que dizem respeito a tempo de acúmulo, previsões de inflação e a rentabilidade mais conservadora disponível, no momento do aporte. Aqueles que quiserem anotar, vamos pegando uma caneta agora: (1) para 35 anos de aportes, terminando aos 55 anos, a regra mais efetiva é 50/15/35; (2) e para 25 anos de acúmulo, terminando aos 45 anos, a regra é 40/10/50.

Vejam que são regras desafiadoras mesmo para o acúmulo de 45 anos, que é tempo bem extenso. Sempre bom lembrar que o cálculo é feito com a rentabilidade mais conservadora que você tem disponível no momento de cada aporte mensal, se estamos falando de algo conservador e considerando que a maioria dos investidores, mesmo começando num perfil conservador, em certo momento, devido ao aumento de conhecimento, que é algo inevitável quando se começa nos investimentos, muito provavelmente poderá migrar para um perfil moderado e até um perfil arrojado, desta forma e estatisticamente falando, no longo prazo desse acúmulo, terá rentabilidades maiores em parte de sua carteira de investimentos, devido a diversificação que é algo importante, tendo uma multiplicação maior que aquela conservadora utilizada para o cálculo do percentual de aporte.

Na verdade, esses são percentuais e valores que devem ser revistos periodicamente ao longo do plano traçado. O importante é saber que a consistência e disciplina deve existir ao longo do processo para a garantia de efetividade do planejado.

Comentários

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por participar das publicações. Sua contribuição é sempre muito importante.

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos falar um pouco sobre a importância da Educação Financeira e da criação de um Planejamento Financeiro Efetivo

Investidores invistam sempre com um propósito

Será que seus aportes são suficientes para a tão sonhada Independência Financeira?