Será que seus aportes são suficientes para a tão sonhada Independência Financeira?

Tanto se fala sobre Independência Financeira através de investimentos, mas será mesmo possível consegui-la desta forma?

Primeiro vamos definir o que é a Independência Financeira.

Uma maneira bem simplória de entender o que é a Independência Financeira e definindo-a como o momento de sua vida quando você pode acordar pela manhã, depois de uma noite tranquila de sono (de pelo menos 7 horas), e escolher se você irá trabalhar naquele dia ou ficar em casa de folga. A Independência Financeira ocorre quando você consegue obter de um fonte definida, sobre a qual você tem pleno domínio, as receitas necessárias para as suas despesas sem que você precise trabalhar.

A Independência Financeira existe quando é possível viver sem a preocupação de precisar trabalhar.

Apesar de ser de simples entendimento a sua constituição é algo o tanto difícil, hoje e sempre, em virtude da cultura instalada em nosso país, onde a grande mídia consegue vencer, em suas investidas, quando consegue transformar a grande maioria em potenciais consumidores compulsivos. Imediatistas por natureza, grande parte da população não consegue se planejar de forma eficiente para consumir, imaginem pensar em se organizar para acumular para a Independência Financeira

Claro que precisamos lembrar daqueles que vivem com um salário mínimo, ou menos do que isso, o que aliás é a realidade da maioria de nossa população. Estudos do IBGE, publicados em outubro de 2019, davam conta de que mais da metade da nossa população viviam com menos de R$ 413,00 por mês, quase 104 milhões de brasileiros. No outro extremo, o 1% mais rico, somente 2,1 milhões de pessoas, tinha renda média de R$ 16.297 por pessoa. Ou seja, essa pequena fatia mais abastada da população ganhava quase 40 vezes mais que a metade da base da pirâmide populacional. Para esses a nossa conversa deve ser outra e nesse caso precisamos escrever um outro artigo para mostrar as saídas possíveis, pois é difícil pensar em acumular quando as necessidades gritam desesperadas e o que se tem nem ao menos é suficiente para suprir de forma suficiente tais necessidades.

Mais da metade da nossa população viviam com menos de R$ 413,00 por mês, quase 104 milhões de brasileiros.

Ontem (01/11/2020), fiz uma pequena enquete no meu perfil do Instagram (@vidaefinancas), onde eu lancei 3 perguntas:

1. Você é um investidor hoje?
2. Você investe com o propósito de Independência Financeira?
3. Sua estratégia de acúmulo de patrimônio hoje lhe garantirá a Independência Financeira que almeja?

O intuito real das três perguntas feitas, foi receber respostas para a última delas, as duas primeiras foram para criar ambiente, para que pudessem responder a última, entendendo o que estava sendo perguntado naquele momento.

Em linhas gerais, (1) ainda existem pessoas que não investem, e entendo que isso passa por tudo que já foi falado, sobre a cultura do lidar com o dinheiro em nosso país, (2) todos investem com o propósito de Independência Financeira, (3) uma boa parte não sabem bem ao certo se aquele acúmulo de patrimônio será suficiente para garantir a sua Independência Financeira no futuro.

Brasileiros que entendem o significado da Independência Financeira, não conseguem acumular de forma a entender se irão conseguir alcançá-la no futuro.

Para os que não conseguem perceber se estão no caminho certo, é preciso apenas fazer a operação matemática certa, para perceberem se  estão fazendo certo ou não. O cálculo a ser feito no dá um resultado hoje que compromete 45,00% das nossas receitas, nos deixando para as despesas apenas 55,00% do total.

A princípio isso é assustador, mas é uma realidade, e esses percentuais calculados variam de acordo com a situação da nossa economia na atualidade, e são definidos considerando Rentabilidades disponíveis em produtos financeiros e taxa de Inflação projetada, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central.

Muitas vezes, pela ilusão de receitas satisfatórias, vivemos vidas que não deveriam ser aquelas vividas por nós. Tudo pela busca do status social que aquele comportamento pode nos proporcionar e não por verdadeira necessidade.

No início desse blog, na verdade a dois artigos atrás, publicamos um texto intitulado: Investidores invistam sempre com um propósito. Hoje, nesse novo artigo, chamamos a atenção de que não só o propósito é suficiente, a forma como construímos o propósito também é muito importante. Então, cuide em rever os seus cálculos e verificar se seus aportes serão suficientes para alcançar a sua Independência Financeira.

Respondendo a pergunta que intitulou esse artigo. Dizemos que é possível que seus aportes sejam suficientes para que alcancem a sua Independência Financeira, basta que para isso se defina um padrão de vida razoável e se faça os aportes certos, considerando as Rentabilidades Líquidas possíveis.

Se precisarem de ajuda para entender melhor o que foi trazido aqui, acessem o nosso Instabio, onde encontrarão a nossa Planilha Calculadora Vida&Finanças, que lhe possibilitará fazer os cálculos necessários. Ficando mais alguma dúvida não deixe de nos contatar via Instagram (@vidaefinancas) através do DM.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos falar um pouco sobre a importância da Educação Financeira e da criação de um Planejamento Financeiro Efetivo

Investidores invistam sempre com um propósito